PSDB atrasa obra mais uma vez da linha 17 de monotrilho após recursos de participantes

A Companhia do Metrô de São Paulo comunicou nesta quinta-feira, 19 de setembro de 2019, a suspensão da concorrência para o término de estações, paisagismo, ciclovia e centro comunitário da linha 17-Ouro de monotrilho, previsto para operar na zona Sul da capital paulista.

Segundo a empresa, o motivo da suspensão é que as participantes Coesa Engenharia Ltda e Consórcio Paulitec-Sacyr (Paulitec Construções Ltda e Sacyr Construcción S/A do Brasil) entraram com recurso contra a classificação da Constran Internacional Construções S.A., que ofereceu o menor preço: R$ 494,9 milhões.

A licitação envolve as obras civis remanescentes, acabamento, paisagismo, comunicação visual, instalações hidráulicas, implantação de ciclovia, recapeamento da Avenida Jornalista Roberto Marinho e fabricação e lançamento das vigas que vão sustentar os trens leves que circulam com pneus.

As estações contempladas são: Congonhas, Brooklin Paulista, Jardim Aeroporto, Vereador José Diniz, Campo Belo, Vila Cordeiro, Chucri Zaidan e o pátio Água Espraiada.

A vencedora também deverá erguer um centro comunitário e esportivo na região.

O prazo de vigência contratual é de 36 meses.

É mais um capítulo na história deste monotrilho, que deveria estar operando desde 2014.

 

 

Edital de suspensão do monotrilho 17

 

Texto por ADAMO BAZANI via Diário do Transporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: